Iniciativa de Genebra (*)

Líderes dos dois povos mostram que a

PAZ entre Israel e Palestina é possível AGORA

 

 

 

 

Apóie a Iniciativa de Genebra:  envie um e-mail para genebra@pazagora.org

              Escreva na linha de assunto: "Apoio Genebra", e informe seu

               nome completo, profissão/título acadêmico e cidade/estado

 
  Apresentação          
  Repercussões            

Apresentação
 

Elaboramos esta versão em português dos "Acordos de Genebra", baseada no texto firmado publicamente por personalidades de primeira grandeza das esferas política, militar e cultural das sociedades israelense e palestina em 01/12/2003.

Esta minuta de acordo definitivo de paz  vem conquistando a simpatia da maioria de seus povos e de representantes de inúmeros governos, inclusive do brasileiro, ao apontar soluções possíveis para os aspectos mais complexos do conflito. Mas ao mesmo tempo sofre a rejeição dos mesmos extremistas dos dois lados que persistem no uso da força suicida, recusando-se ao diálogo e às inevitáveis concessões.

Um esforço da comunidade internacional se faz necessário para que uma solução justa, que este texto demonstra ser possível, seja adotada pelas autoridades governamentais de Israel e Autoridade Palestina, pondo fim ao insano conflito e iniciando uma nova era de cooperação entre os dois povos em dois Estados soberanos.

Apelamos assim a VOCÊ, que apóie e divulgue esta Iniciativa, somando sua voz aos patriotas palestinos e israelenses que insistem em defender os anseios de seus povos de viver em Paz, rejeitando a violência o terror e a desesperança.

Que 2004 traga muita PAZ para todo o mundo AGORA

São Paulo, 29 de dezembro de 2003

Amigos Brasileiros do PAZ AGORA

Em tempo: alguns artigos e os anexos do Acordo ainda não foram publicados até esta data, e deverão sê-lo, à medida que forem concluídos, nos sites que indicamos ao final desta página como fontes.




Os Entendimentos de Genebra - Apresentação
 
[Jordânia, 12 de outubro de 2003]
 
Nós, abaixo-assinados, somos um grupo de palestinos e israelenses, que endossamos neste dia, 12/10/03, um modelo para um acordo definitivo entre os dois povos.
 
Neste momento, após os governos israelense e palestino terem aceitado o Road Map, que inclui o estabelecimento de um status final dos territórios até 2005, baseado na solução de dois Estados, consideramos ser de extrema importância apresentar aos dois povos, e ao mundo todo, um exemplo do que um acordo definitivo poderia incluir.

É evidente que apesar de toda a dificuldade das concessões, é possível atingir um compromisso histórico que reúna os interesses nacionais vitais de cada lado. Apresentamos este acordo como um pacote integral - que tem consistência como um todo.

Num futuro próximo lançaremos uma campanha, cujo objetivo será convencer os dois lados do valor do compromisso histórico no espírito deste modelo, elaborado com o intuito  de por um ponto final neste longo conflito.
 
Encaramos isto como um esforço educacional, como pessoas que cremos na paz, na conciliação dos interesses nacionais e que acreditamos ser alcançável um acordo de paz.
 
É contrário aos nossos interesses adiar indefinidamente este acordo. Ademais, nós o consideramos um serviço às autoridades tomadoras de decisão. Experiências passadas provaram o quão difícil é para as entidades oficiais se prepararem para as negociações de um status definitivo, dado que cada detalhe é relevante e é necessário um trabalho técnico aprofundando cada concessão.

Para que isso se conclua, também se faz imperativo que suplementos e apêndices especifiquem as soluções, com alto nível de detalhes e fiquem disponíveis para os tomadores de decisão no momento de suas discussões sobre o acordo final.

Entre os participantes de ambos os lados há pessoas que já ocuparam posições oficiais de governo no passado e pessoas que as continuam ocupando atualmente, ainda que neste documento nenhum de nós obrigatoriamente represente nosso povo. Acreditamos que esta aproximação representa as diversas parcelas da opinião pública de ambos os lados.
 
Fomos apoiados desde o início do processo pela Fundação privada "Swiss" e pelo Departamento de Assuntos Estrangeiros da Suíça.

A decisão de completar e depois apresentar este modelo de acordo não foi fácil para nós. Entretanto, decidimos prosseguir nesta direção, pois julgamos que uma ação deste tipo possa ser uma fonte de esperança após um longo período de sofrimento, mortes e acusações mútuas e que isto possa facilitar a remoção das barreiras entre as nossas nações.
 
No contexto do processo do Road Map, o presente modelo de acordo significa uma aceitação recíproca e o final efetivo dos conflitos - a ser alcançado em 2005, além de constituir uma resposta aos céticos e aos que julgam que os acordos serão temporários ou inconclusos. Este acordo tratará da criação de um Estado Palestino soberano ao lado do Estado de Israel, pondo fim à ocupação e ao sangrento conflito, além de acabar com as reclamações e reivindicações de ambas as partes.

Hoje apresentaremos este esboço de acordo ao Ministro das Relações Exteriores da Suíça. Decidimos encontrá-lo em um futuro próximo em Genebra, após concluir nossos preparativos, para a assinatura pública e lançamento desta iniciativa.
 
Participantes Israelenses:
Yossi Beilin, Avraham Burg, Amram Miztna, Haim Oron, Amos Oz, Giora Inbar, Shlomo Brom, David Kimche, Prof. Arie Arnon, Dr. Menachem Klein

Participantes Palestinos:
Yassir Adeeb Abed Rabbo, Nabeel Issa Kassis, Hisham Ali Hasan Abelrazeq, Khadura Fares, Mohamad Abdelfatah Al-Horani, Jamal Awad Zaqout, Saman Bishara Khouri, Zuheir Al-Manassrah, Radi Jamil Jarai, Ibrahim Mohamed Khrishi, Samih H A Karakra, Bassil Jabir, Nazmi Al Ju'beh



 
"A paz entre israelenses e palestinos é possível"
 
[por Yossi Beilin (*) - Genebra, 01 de dezembro de 2003]
 
Caros amigos,
 
Hoje estamos revelando o maior segredo do Oriente Médio: "A paz entre israelense e palestinos é possível."
 
Não é uma questão de slogans, de princípios muito genéricos, com os quais todos possam concordar. Patriotas dos dois lados foram capazes de entrar nos detalhes e de oferecer uma solução abrangente, após dois anos e meio de negociações.
 
Estamos dizendo aos dois governos: Não brinquem com o tempo; voltem imediatamente à mesa de negociações, sem pré-condições. Se concordarem com o fim do jogo, no espírito de Genebra, será mais fácil a implementação das primeiras duas partes do road map , e alcançar uma solução permanente.
 
 
Estamos pondo nossa proposta conjuntamente acordada nas mesas dos tomadores de decisões, como uma opção possível para terminar o círculo vicioso de violência.
Esta não é a comemoração de uma conquista. Estamos usando o fato de termos alcançado tal minuta de acordo para responder aos gritos de S.O.S das pessoas, mostrando-lhes que nossa condição não é terminal; existe uma cura.
 
O documento é virtual, mas todos nós somos reais, nossos batimentos cardíacos são reais, e é por isso que nos comprometemos a lutar pela paz, apesar da forte oposição que cada um de nós enfrenta, e apesar das muitas ameaças às nossas vidas.
 
Estamos dizendo ao mundo: Não acreditem naqueles que lhes dizem que nosso conflito é insolúvel. Não tentem nos ajudar a administrar o conflito. Ajudem-nos a terminá-lo.
 
Extremistas em ambos os lados tem feito deste conflito seu meio de vida. Eles lhes dirão que é impossível acabar com a violência, que a empresa de assentamentos é irreversível.
 
Nós lhes dizemos: Cada tema pode ser resolvido. Não desistam de nós. A Paz está logo na esquina. Qualquer solução precisará do mundo para garantir segurança, para monitorar os acordos, e prover recursos financeiros.
Aos palestinos e aos israelenses: aqueles que dizem que não há nada para se conversar, agora estão frente ao nosso plano. Aqueles que dizem que não há ninguém com quem conversar estão vendo hoje que centenas de pessoas dos corações de nossas sociedades demonstram seu compromisso com a implementação deste plano.

Não temos autorização para nos reunir , nem no lado israelense nem no palestino. Só podemos nos encontrar longe de casa. Mas não estamos prontos para desistir um do outro, nem de nosso futuro.

A oportunidade de ter parceiros pragmáticos que pertencem à corrente principal de nossas duas sociedades não é infinda. É ainda possível, mas o abismo se aproxima cada vez mais. Se os passos certos não forem feitos, a imagem deste encontro em Genebra podem se tornar um dos últimos lampejos de sanidade de nossa região.
 
Hoje estamos construindo uma coalizão de sanidade que tem uma solução pragmática para confrontar aqueles cuja única solução é eliminar o outro lado. A missão de todos nós hoje é aumentar nossa coalizão tanto quanto seja possível.

Quero expressar minha apreciação ao presidente Carter, a pessoa de quem tantos de nós no Oriente Médio devem suas vidas. Obrigado por acompanhar-nos e ao nosso trabalho por todo o percurso, e por nos ajudar em horas difíceis.

Uma palavra de agradecimento a Sra. Calmy-Rey, Ministra do Exterior da Suíça. A Sra. é uma pessoa corajosa, e sem o apoio que nos ofereceu, teria sido muito difícil termos sucesso.

Muito obrigado ao Dr. Alexis Keller, que abriu tantas portas para nós na Suiça e se tormou parte integral de nossa equipe.

Obrigado ao governo japonês por toda sua ajuda.

Obrigado aos dois dedicados jovens que minutaram o documento: Gaith El-Omari e Daniel Levy.

Obrigado a todos vocês que estão hoje conosco, incluindo o distinto grupo do Monaco Club, e tantos outros "torcedores".

A você, Yasser Abed Rabbo, agradeço por ser meu parceiro.

As últimas palavras de agradecimento são dedicados a um soldado da paz, que foi morto há 8 anos. Meu forte sentimento é de que se ele tivesse vivido, nós teríamos chegado a um tratado de paz definitivo na data originalmente prevista: 4 de maio de 1999. Estamos comprometidos não só em recordar Yitzhak Rabin, mas em completar o seu legado.

As palavras da Canção da Paz, que estavam escritas num pedaço de papel, encontrado em seu bolso, molhado em seu sangue, se tornarão realidade. Este é meu grande compromisso, e minha promessa a você, Yitzhak Rabin.

(*) Yossi Beilin, ex-Ministro de Israel, foi o co-empreendedor, junto ao ex-Ministro da Autoridade Palestina, Yasser Abed Rabbo, da redação do "Acordo de Genebra", o mais completo esboço de um tratado definitivo de paz para a região já realizado. O texto acima reproduz seu discurso no lançamento da Iniciativa de Genebra




 

Créditos

Traduções:

 Versão para o português (*) pelos Amigos Brasileiros do PAZ AGORA:
 
 Sérgio Goldbaum e Moisés Storch, com a colaboração de Marcelo Finger (art. 4), Renato Flit (art. 9) e Heloisa Pait (art. 5)
 
(*)  Em caso de dúvida, sugerimos consultar a versão oficial em inglês nas fontes abaixo.

Webdesign: Maíra Storch

Fontes:

- Iniciativa de Genebra:  www.heskem.org.il/index_en.asp (versão oficial em inglês)

- Movimento PAZ AGORA: http://www.peacenow.org.il/English.asp (Mapas e Apresentação dos Entendimentos)

- 'Daniela Beilin (Discurso de Yossi Beilin em 01/12/2003)

 
   
 

(*) Versão em português pelos Amigos Brasileiros do PAZ AGORA, baseada no texto oficial em inglês.

1