PATRIMÓNIO CIVIL

 

CASA DE DONA MARGARIDA DE SOUSA

 

 

 

1. ANTIGOS PROPRIETÁRIOS

Esta casa teve várias fases de construção e parece-nos que pertenceu ao Dr. Francisco José de Miranda Duarte, que terá mesmo mandado construir a parte da casa que possui a escadaria em pedra.

O Dr. Francisco José de Miranda Duarte era a filho do Capitão José Correia de Almeida Duarte (de Vila Deanteira) e de Francisca Josefa (de Ázere, Tábua) e foi baptizado a 4 de Dezembro de 1757, na Igreja de Ázere

Formou-se em Cânones a 24 de Maio de 1777.

Em 1780 foi Juiz Ordinário e das Sisas do concelho de S. João de Areias e a partir de 1782 foi Eleito das Obras da Igreja Matriz.

Casou no dia 25 de Agosto de 1790 com D.ª Josefina Eusébia de Freitas Sousa Prego (de Sintra), em S. Martinho de Sintra.

Em 1800 definia-se como Juiz do Desembargo de sua Alteza Real, Desembargador da Relação do Rio de Janeiro e com Assento e Pose na Relação e Casa do Porto.

Desconhece-se o lugar e a data em que faleceu o Dr. Francisco José de Miranda Duarte

Dos seus filhos, só o Dr. Francisco José de Sousa Miranda, manteve ligações à aldeia de Vila Dianteira (pelo menos, assim o parece) e, esse sim, sabemos ser proprietário da casa.

2. DONA MARGARIDA DE SOUSA

O Dr. José de Sousa Miranda nasceu em Faro e foi Desembargador como o seu pai.

Em 1817 teve a leitura de Bacharéis, foi em 1819 nomeado Juiz de Fora de Ponte de Lima, anos mais tarde (1822 ou 1823) Juiz dos Órfãos da cidade de Beja, em 1827 era Provedor da Comarca de Miranda, mercê que depois foi aumentada com Predicamento de Primeiro Banco, em 1835 foi nomeado Delegado da Recebedoria Geral da Província da Beira Alta, na Comarca de Viseu, Curador de Menores, em 1836 foi nomeado Auditor junto do Quartel General da Província da Beira Baixa.

Casou com D.ª Margarida Eugénia de Magalhães de Sousa Miranda.

Em 1840 recebeu a mercê de Cavaleiro da Ordem de Cristo.

Faleceu em Lisboa a 30 de Dezembro de 1846

Depois do falecimento do Dr. José de Sousa Miranda, a sua esposa D.ª Margarida de Sousa  continuou a viver em Vila Deanteira e é ao seu nome que o povo da aldeia liga a Casa. 

Não deixaram descendentes e a Casa e a sua vasta Quinta foi posteriormente dividida por vários proprietários, tendo mesmo um deles ali aberto uma loja de vinhos.

Actualmente a casa está dividida por três donos: dois têm-na bem conservada, mas a parte pertencente a pessoas que emigraram há muito para o Brasil encontra-se em lamentável estado de ruína.

 

Bibliografia:

MENÉNDEZ, José Filipe (1992) - "Francisco José de Miranda Duarte - Percursos de um magistrado setecentista / Subsídios para a genealogia dos Bernardes de Miranda e dos Sousa Prego", Ed. de autor, Queluz [policopiado]; publicado posteriormente in "Raízes & Memórias", n.º 9, Associação Portuguesa de Genealogia, Lisboa, 1993, pp. 163-186

 

Voltar para o topo...

 

SUMÁRIO:

 1. ANTIGOS PROPRIETÁRIOS

 2. DONA MARGARIDA DE SOUSA

 

 

 

 

Casa de Dona Margarida de Sousa, na Rua Principal

 

Dupla voluta da escadaria da Casa de Dona Margarida de Sousa

 

Home  | Situação Geográfica  |  História da Aldeia  |  Património  | FigurasIlusões/Desilusões  |  Dia-a-dia na aldeia  | Livro de Visitas

1