WW3: M006: Fernando de Noronha
   

World War III

   

Batalhas da WW3:

 

- Simulações.

 

- Gulf Escort.

 

- Agressão no Norte.

 

- Atlântic Shield.

 

- GIUK TRAP.

 

- Voltar.

 

- TO Falklands.

 


 
 

 

Fernando de Noronha.

 

NAe Giusepe Garibaldo da Marinha Italiana.

 

BRIEFING 006________________________________

 

Missão: Fernando de Noronha.

Data: 10 de Setembro de 1997

Hora Local: 0200

Localização: Atlântico Sul, Costa nordeste brasileira.

 

Situação Operacional: Dando prosseguimento à Operação Pentagrama, Três BGs liderados por Naes leves, se preparam para ocupar a ilha de Fernando de Noronha, uma vez que o aeroporto da ilha tem sido utilizado como base para ataques à navios civis. Na Europa Central a situação permanece dramática, com a Europa Central destroçada pelos intensos combates e com a capitualação da França. No mar do Norte, a Inglaterra permanece isolada e toda a Escandinávia agora, é vermelha . A Índia invade o Paquistão, colocando um governo pró-Taliban, ameaçando a vida dos soldados da ONU no Afeganistão e os interesses econômicos dos países democráticos no Sudeste Asiático. No Brasil, a expressão pública é violentamente reprimida e líderes sem-terra passam a explorar as plantações de cocaína e maconha, na recém ocupada Colômbia. A Argentina se mostra uma clara ameaça às liberdade dos Kelpers, nas Ilhas Falklands.

Situação Tática: O Grupo de Batalha se aproxima da ilha em uma tentativa de surpreender o inimigo. Espera-se pesada resistência naval e em terra. Pelo menos um Batalhão de Fuzileiros Navais encontra-se defendendo a ilha. Devido a aproximação de três BGs americanos da Costa do Brasil, liderados pelo Enterprise, pelo Kitty Hawk e pelo New Jersey, não se sabe como os brasileiros irão dispor suas forças. Estima-se que as maiores ameaças possam ser seus dois porta-aviões, o seu submarino nuclear, Tamandaré, e algum material bélico repassado pelos russos.

 

Estado do Mar: 1

Vento: 220º a 05 nós

Visibilidade: 90%

Camada Térmica: ??

Ordens: A ilha deve ser ocupada a qualquer preço

 

Forças Envolvidas:

 

COMANDOS ALIADOS:

 

Comando Alpha (BSS Intruder):

HMS Ark Royal e grupo aéreo (comando BG AR):

 - 6 x F/A Mk.2 Sea Harrier.

 - 4 x GrMk.7 Harrier.

 - 7 x SAH.1 Merlin.

 - 3 x SH-3 Sea King (AEW).

Objetivo pessoal: afundamento dos NAes inimigos!

 

Comando Bravo (BSS Young):

 - 1 x Type 23 HMS Norfolk (FFG).

 - 1 x Type 42C HMS Manchester (DDG).

 - 2 x HAS.2 Lynx.

Objetivo pessoal: o Ark Royal deve sofrer menos de 25% de dano!

 

Comando Charlie (BSS Sea Wolf):

NAe Principe de Astúrias e grupo aéreo (comando BG PA):

 - 10 x EA-8V "Matador".

 - 4 x SH-60B Sea Hawk.

 - 2 x SH-3D Sea King.

 - 2 x SH-3 Sea King AEW.2

 - 2 x AB-212.

Objetivo pessoal: Afundamento dos NAes inimigos!

 

Comando Delta (BSS Posseidon):

 - 1 x Classe Knox (Baleares).

 - 1 x Classe Descubierta.

Objetivo pessoal: o Príncipe de Astpurias deve sofrer menos de 25% de dano!

 

Comando Echo (BSS Sea Wolf):

NAe Guisepe Garibaldi e grupo aéreo (Comando BG GG):

 - 10 x AV-8 Harrier II Plus.

 - 1 x SH-3D Sea King.

Objetivo pessoal: Afundamento dos NAes inimigos!

 

Comando Foxtrot (BSS Hammer):

 - 1 x Classe Lupo (Animoso).

 - 1 x Classe Maestrale (Maestrale).

 - 1 x Classe Luigi Durande de la Penne (Luigi Durande).

 - 5 x AB-212.

Objetivo pessoal: o Giusepe Garibaldi deve sofrer menos de 25% de dano!

 

Comando Hotel (BSS Dolphin):

 - 2 x Classe Trafalgar (Turbulent / Tireless).

Objetivo pessoal: defesa dos BG contra meios navais!

 

Comando India (BSS Dagon):

 - 1 x LPD San Giorgio / batalhão San Marco.

Objetivo pessoal: tomada da ilha!

 

Comando Juliet (BSS Slawter):

 - 1 x LPD Galicia / FN espanhóis.

Objetivo pessoal: tomada da ilha!

 

Comando Kilo (BSS Shadow):

 - 1 x LPD Albion / Scot Guards.

Objetivo pessoal: tomada da ilha!

 

FORÇAS INIMIGAS (Estimadas):

 - 1 x NAe São Paulo

 - 1 x NAeL Minas Gerais

 - 4 x Fragatas Classe Greenhald (Type.22)

 - 6 x Fragatas Classe Niterói

 - 4 x Contra-torpedeiros Classe Pará

 - 4 x Corvetas Classe Inhaúma

 - 4 x Submarinos Classe Tupi (IKL.209-1400)

 - 23 x Caças AF.1 / AF.1A Skyhawk

 - 13 x SH.3A/B Sea King

 - 14 x AH.11 Super Lynx

 - ?? x A.4 Skyhawk (Fuerza Aerea Argentina)

 - ?? x AT.26 Xavante

 - ?? x F.103D Mirage III

 - 4ºGAAAe

 - 1 x Batalhão Fuzileiros Navais

 

Resumo dos combates_________________________

 

Baseada em uma força tarefa composta por navios italianos, espanhóis e italianos, todo o apoio aéreo seria provido por caças do tipo Harrier (V/STOL). Já as forças brasileiras estavam limitadas a unidades navais da Marinha do Brasil, um batalhão de fuzileiros e um grupo de artilharia anti-aérea do Exército. Deve-se ainda mencionar que havia a expectativa (que se mostrou falsa) de que material bélico de origem russa estaria sendo empregado na defesa de Fernando de Noronha.

Avançando de maneira coesa formando um único grupo, as forças atacantes aproximavam-se da ilha no curso 270º, sem perceber o cerco que a aviação inimiga estava preparando. Caças Mirage travaram o primeiro contato com os Helicópteros ASW e AEW aliados, e após breves combates contra os Harrier AV-8B (doados de mísseis BVR AIM.120 AMRAAM) em que não tiveram chances de defesa, a batalha se encerrou com o comando inimigo optando por destruir a pista de pouso da ilha, e regressar ao continente evitando um confronto cujo desfecho seria mais que previsível. Embora esta atitude possa (a primeira vista) parecer um ato de covardia, após uma analise mais profunda dos meios empregados, fica latente que era a decisão mais certa a ser tomada, pois sem contarem com um caça dotado de capacidade BVR (como os F.5M) e uma aeronave de alerta aéreo antecipado (R.99A/B) as forças defensoras estariam em desvantagem.

Por fim, ficou a lição de que o Brasil possui grandes vulnerabilidades quanto a defesa de seu extenso litoral.

 

 

Destaques especiais:

 

- Ataque ao NAe CDG.

 

- Crimes de Guerra.

 

- Brotherhood Freedom.

 

- Operação Icosaedro.

 


Fotos e mapas:

 

Mapa Tático mostrando os objetivos terrestres no Arquipelago de Fernando de Noronha.

 

Fragata Type.23 HMS Iron Duque.

 

Caça AV.8B Harrier II em serviço com a Marinha Italiana, operando a bordo do NAe Giusepe Garibaldi.

 

SS Tupi: conferindo uma real capacidade de dissuasão, os quatro submarinos Type.209 operados hoje pela Marinha do Brasil já provaram em diversos exercícios com a OTAN e USN que estão aptos a ameaçarem as melhores defesas ASW do planeta.

 

Douglas A.4KU (designação AF.1 na MB) operando a bordo do NAe São Paulo. Importantes para a formação de uma aviação embarcada que possa cumprir missões de defesa aérea e ataque, os pequenos e ágeis Skyhawks são o resultado de um excepcional projeto dos anos cinquenta, tendo já acumulado experiência em combates reais no Oriente médio, Vietnã e no Atlântico Sul. Foto: Serviço de Relações Públicas da Marinha.

 

Corvetas Classe Inhauma: prova da capacidade que possuimos em projetar e construis escoltas modernas, além das quatro já em serviço, há uma quinta unidade em fase final de conclusão, a qual teve seu projeto modificado gerando uma nova classe (Barroso). Operando com um helicóptero Super Lynx e contando com mísseis MM.40 Exocet, torpedos leves Mk.46 e canhões de 20mm e 100mm são eficientes vetores de combate.

 

Download do debriefing.

 

 

_Subir_