World War III

   

Batalhas da WW3:

 

- Simulações.

 

- Gulf Escort.

 

- Agressão no Norte.

 

- Atlântic Shield.

 

- GIUK TRAP.

 

- Fernando de Noronha.

 

- Voltar.

 


 
 

 

Falklands / malvinas.

 

A Equipe da Thunder Works vem trabalhando em um simulador de vôo que retrate as operações da  Guerra das Falklands, permitindo combater com as aeronaves envolvidas. Diversos screenshots demonstram a qualidade do trabalho realizado por eles. Foto: Jet-Thunder (http://www.thunder-works.com/)

Foto: http://www.thunder-works.com/

 

BRIEFING 007________________________________

 

Missão: Fernando de Noronha.

Data: 17 de Setembro de 1997

Hora Local: 0000

Localização: Atlântico Sul, Próximo as Falklands Is.

 

Situação Operacional: OPERAÇÃO EM CURSO, INFORMAÇÕES CONFIDENCIAIS.

Situação Tática: OPERAÇÃO EM CURSO, INFORMAÇÕES CONFIDENCIAIS.

 

Estado do Mar: 3

Vento: 000º a 10 nós

Visibilidade: 50%

Camada Térmica: camada em 100mts, sonar em 1 zona de convergência, radar ducting em 30%. Alvorada as 0625Hrs.

Ordens: A ilha deve ser ocupada a qualquer preço

 

 

Forças Envolvidas:

 

COMANDOS ALIADOS:

 Informações indisponíveis no momento / missão em curso.

 

 

FORÇAS INIMIGAS (Estimadas):

 Informações indisponíveis no momento / missão em curso.

 

 

Resumo dos combates_________________________

 

Até o momento, os combates seguem sem definições, porém, um dos objetivos desta simulação (que era determinar se o resultado da guerra poderia ter sido diferente) já foi alcançado, provando que se os argentinos tivessem aguardado o recebimento de mais mísseis exocets, e colocado seu Navio Aeródromo (ARA Veintecinco de Mayo) em condições de operar plenamente com seus caças, os ingleses poderiam ter sofrido baixas maiores que as sofridas em 1982.

Em breve disponibilizaremos maiores detalhes sobre esta simulação.

 

 

Destaques especiais:

 

- Ataque ao NAe CDG.

 

- Crimes de Guerra.

 

- Brotherhood Freedom.

 

- Operação Icosaedro.

 


Fotos e mapas:

 

Mapa Tático mostrando as ilhas Falklands com os objetivos em terra assinalados,

 

Dassault Super Etendard da AViação naval Argentina: apenas cinco haviam sido entregues antes da invasão das ilhas, cada qual portando um único ASM Exocet AM.39, empregados nos ataques bem sucedidos contra a HMS Sheffield e o MV Atlantic Conveyor.

 

Submarinos Nucleares da Royal navy bloquearam os portos argentinos, e como resultado o Cruzador Argentino ARA General Belgrano foi destruido cmo o emprego de torpedos Mk.8 não guiados!

 

O Porta Aviões HMS Invincible havia entrado em serviço a pouco tempo, e foi prontamente enviado para o Atlântico sul, a fim de libertar as ilhas Falklands.

 

Sea Harrier FRS Mk.I: apelidados de Morte Negra pelos argentinos, os pequenos caças ingleses se mostraram letais em combate contra os Mirages e Skyhawks argentinos.

 

Buscando ampliar a capacidade da Royal Navy em prover apoio aéreo, o HMS Hermes também foi deslocado para o Atlântico sul, operando com caças Sea Harrier.

 

Avro Vulcan: realizando longos deslocamentos para atacar posições inimigas nas Ilhas, um destes bombardeiros adentrou em espaço aéreo Brasileiro após ter problemas com sua sonda de reabastecimento, o que o impediria de regressar a sua base sem antes reabastecer no Brasil. Caças da FAB decolaram para interceptá-lo.

_Subir_

1