biblioteca virtual revolucionária

No ar desde: 05/09/99
Última atualização: 01/01/2008

Editora Virtual Revolucionária!

Clique aqui para ver a figura no seu tamanho natural numa nova janela

ÍNDICE DE TEXTOS
EDITORA
CONTATOS
ENLACES/LINKS
DOSSIÊS:

ANARQUISMO

AUTONOMIA OPERÁRIA

COMUNISMO DE CONSELHOS

CONTRA O ESTADO

CONTRA O TRABALHO

INTERNACIONAL SITUACIONISTA

REVOLUÇÃO E CONTRA-REVOLUÇÃO NA ESPANHA

REVOLUÇÃO E CONTRA-REVOLUÇÃO NA RÚSSIA

MISCELÂNEA:
1968 &
DEPOIS
...



O Capital transforma tudo em mercadoria, isto é, algo objetivamente mensurável e substituível por uma abstração quantitativa - o dinheiro. Nem mesmo o ser humano conseguiu escapar. Ser prático e objetivo, autocriador, o homem foi alienado de sua essência sob o domínio do Capital.

O atual estado de coisas (nos EUA e na Nova Zelândia, no Chile e na Inglaterra, em Portugal e no Japão, na África do Sul, em Cuba e no Brasil – resumindo, no mundo inteiro) caracteriza-se por terem sido formalmente abolidas a escravidão e a servidão. Todos os homens são livres e iguais, enquanto vendedores e compradores de mercadorias. Conseqüentemente, aqueles que não têm mercadorias para vender (que outrora seriam escravos ou servos e que agora são os proletários, a quase totalidade da população) são forçados a escolher: a morte ou a venda do que ainda lhes pertence, os braços, as mãos, os pés, o sentimento, o raciocínio, os gestos... sua essência humana, sua atividade vital, sua existência criativa, sua força-de-trabalho em troca de um salário. Desse modo, o ser humano é constrangido a aceitar a mais desigual das trocas: a da vida pela sobrevivência, sendo forçado pela necessidade a fazer de suas aptidões um objeto de consumo e vendê-las no mercado de trabalho.
Clique aqui para ver a figura no seu tamanho natural numa nova janela

Tendo conseguido vender sua força-de-trabalho, a realização do proletário se torna sua desrealização, a afirmação do proletário se torna a negação de si como homem, pois o trabalhador não age como ser humano, mas como força-de-trabalho, como mercadoria, subordinado à vontade do capitalista, em troca de um salário.

O capital reduz toda atividade humana a trabalho e toda realização do ser humano a mercadoria. Tudo que os trabalhadores fazem existir por meio de suas atividades (alimentos, ruas, cadeiras, poemas, meios de produção, computadores, casas...) é radicalmente separado deles e se torna propriedade privada do que ou de quem comprou sua força-de-trabalho. Com isso, a atividade dos homens se coagula numa esfera separada, que se volta contra os próprios homens que a produziram, sua alienação é total. Nessas condições, quanto mais os homens transformam a realidade (todos os aspectos do mundo), tanto mais essa realidade se torna estranha e hostil para eles, tanto mais eles se sentem estranhos em seus próprios atos e hostis para si mesmos, enquanto reproduzem ampliadamente sua própria condição de vendedores da mercadoria força-de-trabalho, desvalorizando-se ao produzir mais-valia. Essa crescente reificação da atividade passada (trabalho morto), que suga a atividade viva do trabalhador é o Capital, cujos proprietários - os capitalistas - podem ser indivíduos (como nos EUA, Brasil etc.) ou Estados (em Cuba, China, Coréia do Norte etc.).
Clique aqui para ver a figura no seu tamanho natural numa nova janela

A recorrente crise econômica que impregna a "globalização" demonstra que o atual desenvolvimento das forças produtivas não mais permite que o valor, em escala mundial, seja produzido e mensurado pelo trabalho vivo, que, com a aplicação da robótica e da micro-eletrônica, tende a ser anulado no processo produtivo. Portanto, o dinheiro começa a perder seu fundamento, fica "sem pé nem cabeça" e a crise se agrava ininterruptamente. Doravante, a sobrevivência do Capital é sua autofagia, sua autodestruição - ele já não pode dar um passo sem tropeçar nas próprias pernas. Desse modo, a luta pela abolição revolucionária do trabalho, hoje uma necessidade óbvia, não pode mais ser acusada de utópica, uma vez que o capitalismo mal sobrevive à lembrança espectral dos "tempos prósperos".
Clique aqui para ver a figura no seu tamanho natural numa nova janela

No atual estado de coisas, toda reforma é simples maquiagem da crise do Capital. É o próprio capitalismo que torna sua condição de possibilidade, o trabalho assalariado, impossível. Portanto, a revolução social é a única perspectiva, além de humana, realista e necessária. Trata-se, nada mais nada menos, de o ser humano se auto-instituir como única medida de todas as coisas, abolindo o dinheiro, o trabalho e o Estado. Trata-se, pois, de efetivar a comunidade humana mundial, na qual as forças produtivas disponíveis serão direcionadas para realizar concretamente os seres humanos em suas atividades, como tais: poesia, gozo, arte, inseparáveis entre si e da vida como um todo. A economia e a política serão extintas, juntamente com as demais esferas separadas, alienadas e especializadas, com a destruição do Estado e a supressão do Capital. A essência humana será a comunidade dos indivíduos livremente associados, na cotidiana atividade de transformação das circunstâncias e de si mesmos, atividade que enfim lhes permitirá tornarem-se seres humanos, com e para os outros.

Esta biblioteca tem como proposta difundir os textos das diversas linhas de pensamento que abordam essas questões, sob a perspectiva da superação revolucionária do atual estado de coisas.

 


Índice de textos:

AB CDEFGHI JKLMN O PQRS TUVW XY Z

retornarTemas e autores por ordem alfabética: 
A Alquati, Romano
A Rede de Lutas na Itália - Romano Alquati

Anger, Max
Uma Oposição Leal do Stalinismo: Trotsky e a Contra-revolução- Max Anger

Antagonism
Obreirismo 

Antich, Salvador Puig
De Salvador Puig Antich e o M.I.L.

  Autonomia Operária
Dossiê: Autonomia Operária

 Encontro Da autonomia ao Antagonismo Difuso

Askö
Para Acabar com o Fascismo e com o Antifascismo: Luta de Classes - Askö #9
retornar
O que é Trabalho Socialmente Útil? - Askö #10 

B Bakunin, Mikhail
Programa e Objetivo da Organização Secreta Revolucionária dos Irmãos Internacionais  - Mikhail Bakunin

Banquise, La
A Internacional Situacionista - La Banquise

A Esquerda Italiana e Bordiga  - La Banquise

Da Esquerda Alemã a Socialisme ou Barbarie - La Banquise

Barrot, Jean e François Martin
Eclipse e Reemergência do Movimento Comunista - Jean Barrot e François Martin

Fascismo & Antifascismo - Jean Barrot

O «renegado» Kautsky e seu discípulo Lênin  - Jean Barrot
retornar
Bonanno, Alfredo M.
Movimento Fictício e Movimento Real - Alfredo M. Bonanno

Brendel, Cajo
O Comunismo de Conselhos e a Crítica do Bolchevismo - Cajo Brendel

Algumas Considerações sobre a Reorganização da Esquerda Revolucionária - Cajo Brendel

Brinton, Maurice
A Revolução Russa - Maurice Brinton 

Bruno, Lúcia
A Luta Autônoma - Lúcia Bruno

C Camatte, Jacques
Sobre Organização: As Gangues (dentro e fora do Estado) e o Estado como Gangue - Jacques Camatte & Gianni Collu

Revolução - Jacques Camatte

Declínio do Modo de Produção Capitalista ou Declínio da Humanidade? Jacques Camatte

A Errância da Humanidade Jacques Camatte

Castoriadis, Cornelius
Fenomenologia da Consciência Proletária - Cornelius Castoriadis

Sobre o conteúdo do socialismo - Cornelius Castoriadis

Centro de Pesquisa para a Ação Comunista
Somos todos criminosos para os patrões. Somos todos companheiros para a revolução - Centro de Pesquisa para a Ação Comunista

Ciliga, Ante
A Revolta de Kronstadt - Ante Ciliga

Cleaver, Harry
Teses sobre a Crise Secular do Capitalismo: a Insuperabilidade dos Antagonismos de Classe - Harry Cleaver

Coletivo Rete Operaia
O que entendemos por AUTONOMIA PROLETÁRIA - Proletários retornar Comunistas

Notas sobre a autonomia operária na Itália - Coletivo Rete Operaia (Precari Nati)

Zona Industrial - Coletivo Rede Operária

Apresentação de Precari Nati

ver também Proletários contra as máquinas

Collu, Gianni 
Sobre Organização: As Gangues (dentro e fora do Estado) e o Estado como Gangue - Jacques Camatte & Gianni Collu


Conflicto (Papeles por la guerra social.)
Carta Aberta ao Proletariado Argentino - Conflicto

Conselhos Operários
Dossiê Comunismo de Conselhos

Corrente Comunista Internacional
Os Sindicatos contra a Classe Operária - Corrente Comunista Internacional

Nossas Posições - Corrente Comunista Internacional

Encontro sobre a Autonomia Operária - Uma Fraude Vulgar - CCI  [ver: Encontro Da autonomia ao Antagonismo Difuso]

D Dauvé, Gilles
Enquanto houver dinheiro, nunca haverá o bastante para todo mundo - Gilles Dauvé 

Debord, Guy
Perspectivas da transformação consciente da vida quotidiana - Guy Debord

Teses sobre a revolução cultural - Guy Debord


Introdução a uma crítica da geografia urbana - Guy Debord

Dossiê Internacional Situacionista

Dielo Truda
Plataforma Organizacional - Prefácio à Primeira Edição Irlandesa

Plataforma Organizacional - Introdução Histórica à Primeira edição Irlandesa

Plataforma Organizacional - Dielo Truda (Causa Operária)

Dossiê: Revolução e Contra-Revolução na Rússia
retornar
Direkte Aktion
KOLINKO entrevista “Direkte Aktion” (jornal anarco-sindicalista alemão)

Dossiês:
    Anarquismo

     Autonomia Operária

    Comunismo de Conselhos

    Contra o Estado

    Contra o Trabalho

    Internacional Situacionista

     Revolução e Contra-Revolução na Espanha

    Revolução e Contra-Revolução na Rússia

    Miscelânea: 1968 e depois

E
"Echanges et Mouvement"
A Democracia Direta é Realmente Possível?

Uma Rede: "Echanges et Mouvement"

O Novo Movimento - Henri Simon
retornar
Ekintza Zuzena
O Antifascismo como Forma de Adesão ao Sistema - El último de Filipinas Alacant

Movimento Fictício e Movimento Real - Alfredo M. Bonanno

Espanha: Revolução e Contra-Revolução
Dossiê: Revolução e Contra-Revolução na Espanha

Estado
Dossiê  Contra o Estado

G Gorter, Herman
As Lições das "Jornadas de Março" (última carta de Gorter a V. I. Lênin) - Herman Gorter

Grupo Comunista Internacionalista
 

O Leninismo contra a Revolução - GCI

Teses de Orientação Programática - GCI

Contra as Cimeiras e Anticimeiras - GCI

Proletários de todos os países: a luta de classes na Argélia é a nossa luta! - GCI

Apresentação do Grupo Comunista Internacionalista - GCI

Acerca da crítica das falsas rupturas: ruptura proletária contra o centrismo - GCI

Viva o Comunismo! - GCI

Antiterrorismo = desenvolvimento do terror contra nossas lutas - GCI
retornar
Avante os que Lutam contra o Capital e o Estado! (Contra o Mito da Invencibilidade das Forças Repressivas) - GCI

O papel do proletariado no palco das cimeiras e derivados: a questão da autonomia proletária - GCI

Contra as Celebrações do Primeiro de Maio - GCI

Características Gerais das Lutas da Época Atual - GCI

Contra a Ditadura da Economia, Lutemos
pela Ditadura de Nossas Necessidades!
[panfleto]
- GCI

Cone Sul: Contra a impunidade dos torturadores e assassinos - GCI

Contra o Mito dos Direitos e das Liberdades Democráticas - GCI

Comunismo contra Democracia - GCI


Grupo de Lucha Proletaria (Peru)
Contra a Democracia - GLP

H Heath, Nick
Plataforma Organizacional - Introdução Histórica à Primeira edição Irlandesa

I Internacional Situacionistaretornar
Dossiê: Internacional Situacionista

J Jussieu, Assembléia de
Jussieu, uma Assembléia Extraordinária  

K Kaos
Contra o Trabalho - Kaos #0

O Mito do Socialismo Cubano - Kaos #0

Autonomia: o que é e como Funciona - Kaos #0

Guerra e Paz - Kaos #1

Teses para a Formação de uma Rede de Indivíduos, Grupos e Organizações Autônom@s - Kaos #1

Atividade Humana contra o Trabalho - Kaos #2

Aceitar o Mal Menor é Suicidar-se um Pouco, Todo Dia - Kaos #3

Crise Econômica: Globalização ou Decomposição do Capitalismo? - Kaos #3

Comunitarismo Separatista ou Comunismo Anarquista? - Kaos #4

retornarAção Direta - Kaos #4

A Liberdade Capitalista é a Escravidão Assalariada! - Kaos #5

A revolução não é tarefa de partido - [Otto Ruhle] Kaos #6

Download dos números completos de Kaos em arquivos do WORD:
Kaos # 0 | Kaos # 0 encarte | Kaos # 1 | Kaos # 2 | Kaos # 3 | Kaos # 4

Kick it Over
Comunismo de Conselhos - Kick it Over

Kolinko
Notas sobre Composição de Classe - Kolinko

KOLINKO entrevista “Direkte Aktion” (jornal anarco-sindicalista alemão)

Onde está a tendência revolucionária na atual realidade de classes? Proposta de pesquisa coletiva dos Call Centers - Kolinko

ver tambémProletários contra as máquinas


Korsch, Karl
Teses sobre Hegel e a Revolução - Karl Korsch

Dez Teses sobre o Marxismo Hoje - Karl Korsch

A comuna revolucionária I - Karl Korsch

A comuna revolucionária II - Karl Korsch


Kotanyi , Attila
Programa elementar da oficina de urbanismo unitário - Attila Kotanyi & Raoul Vaneigem

Dossiê: Internacional Situacionista


L Lafargue, Paul
O direito à preguiça - Paul Lafargue

Le mouvement communiste
Carta aberta à Conferência de Grupos Revolucionários, realizada naretornar Inglaterra em Maio de 1973 - Le mouvement communiste

Lukács, Gyorgy
A consciência de classe - Gyorgy Lukács

Velha e nova cultura - Gyorgy Lukács

M  MacSimoin, Alan
Plataforma Organizacional - Prefácio à Primeira Edição Irlandesa

Makhno, Nestor
Nossa Organização - Nestor Makhno

Sobre a Disciplina Revolucionária - Nestor Makhno

Sobre a Defesa da Revolução - Nestor Makhno

Plataforma Organizacional - Prefácio à Primeira Edição Irlandesa

Plataforma Organizacional - Introdução Histórica à Primeira edição Irlandesa

Plataforma Organizacional - Dielo Truda (Causa Operária)


Polêmica entre Malatesta e Makhno em Torno da "Plataforma"

retornarDossiê: Revolução e Contra-Revolução na Rússia

Malatesta, Errico
Polêmica entre Malatesta e Makhno em Torno da "Plataforma"

Martin, François
Eclipse e Reemergência do Movimento Comunista - Jean Barrot e François Martin

Malungo
O Bom Cidadão - Malungo

Marx, Karl
Teses sobre Feuerbach - Karl Marx

Manuscritos econômico-filosóficos - Karl Marx

Introdução à crítica da filosofia do direito de Hegel - Karl Marx

Mattick, Paul
"As Barricadas Devem ser Removidas": Fascismo Stalinista naEspanha - Paul Mattick

Stalinismo e Trotskismo - Paul Mattick 


Meijer, Henk Canne
O Novo Movimento Operário - Henk Canne Meijer

MIL-GAC

Sobre o MIL-GAC - Introdução - Nils Ynoones

1000 ou 10000  - «Grupo Autônomo de Combate / setembro 1973»  

Moss, Sam
A Impotência do Grupo Revolucionário - Sam Moss

N Négation
Crise e Autogestão - Négation

Negri, Diego
A.A.U.-E.: Organização Unitária Contra a Divisão entre Luta Política e Econômica - Diego Negri

O Organização Conselhistaretornar
Teses para a Abolição do Trabalho - Organização Conselhista

P Pannekoek, Anton

O Novo Blanquismo - Anton Pannekoek

Partido e Classe - Anton Pannekoek

Os Conselhos Operários - Anton Pannekoek

Perlman, Fredy
A Reprodução da Vida Cotidiana - Fredy Perlman

A Persistente Atração do Nacionalismo - Fredy Perlman

Potere Operaio
Os Operários não querem mais trabalhar - Potere Operaio


Precari Nati
ver Coletivo Rete Operaia retornar

Il Programma Comunista
Origem e Função da Forma-Partido Il Programma Comunista (Rapporto dei gruppi internazionalisti di Francia)

Programme Communiste
Auschwitz: o Grande Álibi Programme Communiste

Proletários contra as máquinas
Queimando todas as ilusões esta noite... - Proletários contra as máquinas

Razões pelas quais o Estado precisa do terrorismo - Proletários contra as máquinas


Prol-position
Nokia ocupada - Prol-position

R Reeve, Charles
"Bandidos Vermelhos", Funcionários e Poetas - Charles Reeve

Riesel, René
Preliminares sobre os conselhos e a organização conselhista - René Riesel

Dossiê: Internacional Situacionistaretornar

Rizoma Autonomia
Amigos da revolução Social #0

Ruhle, Otto
A revolução não é tarefa de partido - Otto Ruhle

Rússia: Revolução e Contra-Revolução
Dossiê: Revolução e Contra-Revolução na Rússia

S Simon, Henri
O Novo Movimento - Henri Simon

T Trabalho
Dossiê: Contra o Trabalho  

V Vaneigem, Raoul
retornar Programa elementar da oficina de urbanismo unitário - Attila Kotanyi & Raoul Vaneigem

Dossiê: Internacional Situacionista

W Wagner, Helmut
Teses sobre o bolchevismo - Helmut Wagner

Weil, Simone
O Mistério da Fábrica - Simone Weil

Y Ynoones, Nils

Sobre o MIL-GAC - Introdução - Nils Ynoones

Z Zeroworkretornar
Composição de Classe - Zerowork


Clique aqui para ver a figura no seu tamanho natural numa nova janela















Contatos, críticas, sugestões, contribuições, escrever para:
bvr_autonomia@yahoo.com.br
retornar
1